Depoimento de Jonas Teixeira de Vasconcelos

Postado | 0 comentários

Sempre simpatizei com a ideia de não comer carne, mas não tinha contato com as informações necessárias para me conscientizar acerca do assunto. Quando assisti a um programa de debate na televisão onde foram apresentados os dois pontos de vista eu me questionei se queria continuar contribuindo com a exploração de animais, a partir daí busquei informações mais aprofundadas e decidi me tornar vegetariano, depois de um ano passei para o veganismo. Já são quase quatro anos sem carne.

Leia Mais

Depoimento de Cleide Santos

Postado | 0 comentários

Depoimento de Cleide Santos

Meu vegetarianismo tem longa data, apesar das recaídas diante de uma preparação com carne em alguns momentos da vida. Cresci numa chácara no interior de São Paulo, onde cultivávamos uma horta e um pomar com variados tipos de verduras, legumes e frutas. Hum, como era gostoso subir nas mangueiras e saborear aquela gostosura de manga após o almoço, como uma merecida sobremesa, ou chupar uma mexerica embaixo da mexeriqueira, me escondendo da minha mãe. Nossa família não tinha muito dinheiro, e a hortinha era o que enchia o prato na maioria dos dias. Mas também criávamos galinhas, que além de nos dar os ovos caipira, que eu gostava muito, serviam de almoço em dia especial, como uma aparição de tia ou para satisfazer a um desejo de meu pai e minha avó. Lembro que eu e meu irmão batizavamos as galinhas e muitas delas ajudamos a crescer com muito carinho e caixinhas quentinhas. Também me lembro da primeira vez em que minha avó, que vivia conosco, chamou a mim e meu irmão para acompanhá-la na tarefa de matar o frango. Crianças curiosas fomos nós e a ajudamos a capturar o bichinho para o que pensávamos ser alguma coisa boa. Rumamos para o nosso quintal, obedecendo nossa avó( até porque criança acredita muito naquilo que os seus responsáveis passam como sendo o melhor), prometendo ajudá-la. Sobre o fogão á lenha, um caldeirão fervente, facas afiadas brilhavam próximas ao fogão e minha avó disposta a nos oferecer um almoço diferente, mas tudo o que vimos acontecer com aquele frango, nos fez embrulhar o estomago e no final até brigamos pela folha de alface. Meus pais falavam: ” – Seus bobinhos, a carne é tão boa…” A carne dos frangos que víamos matar, não comíamos nem por decreto, embora comessemos as carnes que vinham do mercado ou da feira em outros dias. Até aí, eu não conhecia a verdade e aceitava pacivamente os cuidados e hábitos oferecidos pelos meus pais, que também não tinham informação e viviam o mito de que carne engorda e faz crescer. Culturalmente envolvidos pelo prazer de comer carne. Passado um tempo, já com 16 anos, parei de comer carne de porco após ouvir do meu então namorado, explicações acerca das vibrações energéticas do porco e homem e daí buscar mais verdades na espiritualidade e em fontes além do meu quintal, foi um caminho que me rendeu algum conhecimento, especulações diversas, novos sabores, abstinencia de carnes e recaídas quando não me sentia sustentada na verdade. Isso, de se sustentar na verdade de sua escolha, é algo importante e decisivo neste processo que está na contra mão do mundo. Casei-me bem jovem com apreciador de carne, o que dificultou um pouco a aplicação de uma alimentação diferente no dia a dia, tanto que meu filho mais velho recebeu esta influência e até hoje acha que a carne de animais é feita para o homem consumir. Eu, como mãe, repito sempre o que penso, afinal, uma hora a coisa pode vir á tona e as palavras de mãe vão soar como um balsamo. Após a separação deste primeiro casamento, passei anos sem carne, e me dediquei a um auto conhecimento que esbarrou no vegetarianismo muitas vezes, mas à medida em que ia me informando mais, conhecendo mais sobre a cruel industria da carne, ficava indigesto demais engolir um bife, e é por isso, por saber de tanta crueldade, que me tornei vegetariana. Hoje, sou casada com um devoto de Krishna, e tal união me favorece muito a praticar a não violencia, começando pelo pensar no alimento, preparar o alimento e...

Leia Mais

Depoimento de Jeovana Klutz

Postado | 0 comentários

Boa noite! Desde criança, pra mim, nunca houve diferença de uma vida para outra. Eu simplesmente nunca entendi essa rotulação de “esse você come, esse você ama”. E oras, como as pessoas podem negar, ainda nos dias de hoje, que os animais tem sentimentos? Ser vegetariano/vegan é fácil pra quem enxerga por trás dessa tradição sem fundamento, é fácil pra quem consegue enxergar além da carne prontinha e nada assustadora que nós vemos no mercado =) Já são quase 5 anos sem carne alguma =)

Leia Mais

Depoimento de Amanda Corrochano

Postado | 0 comentários

Minha mãe me conta q desde bebê quando ela começou a introduzir alimentação solida em minha dieta,tentava me dar carne na sopinha e eu chorava pois não queria comer, tomava a sopinha toda e relutava em comer a carne. Anos mais tarde, e o “problema” perdurava, ninguem na minha familia é vegetariano, e eu sequer tinha acesso as informações a respeito, e era uma eterna luta em casa entre eu e minha mae, pois me recusava a comer carne e ela ficava chateada, pois na cabeça dela eu estava fazendo disfeita. Inconscientemente, eu rejeitava a carne, nunca gostei, e nas vezes em q comia para nao chatear minha mae, ela tinha q transformar o bife numa “sola de sapato” de tanto q tinha q fritar…com frango, peixe era a mesma guerra. Até q ingressei na faculdade de veterinaria, onde infelizmente tive materias onde estudavamos abate, criação de animais para consumo e até mesmo inspeção de produtos de origem animal. Embora os professores passassem sempre sua visão “comercial” e até mesmo fria sobre o assunto, eu sempre senti desgosto em estudar esse tipo de coisa e me revoltava cada vez mais, e isso me fez inicialmente parar de comer carne vermelha. E gradualmente fui retirando todos os tipos de carne da alimentação e me sinti cada vez melhor. Resolvi me consultar com uma nutricionista especializada em dieta vegana/vegetariana chamada Ana ceregatti. Ela foi um anjo q me ajudou mto, e graças a essa ajuda consegui me livrar por completo da carne em meu prato. Desde então, vivo em paz com minha consciencia, dificilmente fico doente, introduzi em minha casa uma alimentação mais saudavel e agora tds la sabem q podemos viver mto bem sem carne, embora eu continue sendo a unica vegetariana por la. Não é facil conviver com o preconceito e as piadinhas infames e sem graça nenhuma, tbm não é facil mostrar aos colegas veterinarios, mto menos as pessoas em geral q vegetarianismo não é só sentimentalismo, mas tbm temos a visão socio politica da coisa, e a consciencias dos males q a pecuaria tras em tds os aspectos. Mas acredito q a passos pequenos estamos progredindo, e cada vez mais pessoas estao criando habitos de consumo mais conscientes. Torço para q um dia, esse grupo tenha milhares de depoimentos, milhares de participantes. Podemos ajudar a melhorar o lugar em q vivemos, com paz e...

Leia Mais

Depoimento de Kelvin Vecchi

Postado | 0 comentários

Boa tarde digo boa noite, bem creio que seja boa noite mesmo. Enfim, há cerca de um ano e meio atrás vegetarianismo e veganismo não faziam parte de minha vida e nem da vida de meus familiares e amigos.Desde pequeno eu sempre tive um grande amor pelos animais embora as vezes eu fico pensando porque eu não vi a verdade por trás da carne e dos outros produtos de origem animal, talvez pela convivência que eu tive em minha vida com pessoas que não estavam nem ai para essa questão.A praticamente um ano atrás eu começei a frequentar a faculdade e foi nela que eu acabei conheçendo uma garota que por sinal era vegana, ela me ensinou muita coisa sobre vegetarianismo,veganismo mas uma das coisas mais impactantes que ela me mostrou foi que até este momento, este exato momento toda minha vida foi feita apartir de mentiras e ilusões de uma sociedade cruel e que no fim só se importava com ela.Apartir dai eu começei a mudar drasticamente meu modo de viver, passe a pesquisar e muito sobre tudo relacionado ao veganismo, direitos dos animais,etc;No inicio foi bem complicado para eu me acostumar com essa nova vida, mas a garota que me ajudou a finalmente “evoluir” sempre esteve ali me ajudando mas de uma forma que no fim ela apenas dava um empurrão pois eu fazia o resto tanto que eu fiquei pouco mais de 2 meses no vegetarianismo e depois aderi o veganismo em minha vida.No inicio minha familia não aceitou muito bem tanto que minha irma pensou que eu estava ficando louco(embora ela ja pensava isso), mas com o tempo depois de todas as explicações que eu fiz a eles sobre tudo pelo qual eu mudei e lutava as coisas começaram a melhorar tanto que hoje minha familia ve tudo pelo qual eu vivo não mais como um tipo de loucura, mas sim como algo positivo e verdadeiro que era muito mais do que apenas uma dieta era e é uma filosofia de vida que prioriza você, todos os seres que estão ao seu redor e vida.Hoje apesar de eles ainda terem uma alimentação oniivora o consumo de produtos de origem animal por parte dos mesmos diminuiu e muito, minha sobrinha até me ajuda a fazer as comidas veganas(embora ela coma a maioria).Hoje o veganismo e as lutas diarias para o fim de todas as explorações no quais os animais são submetidos pelo homem fazem parte da minha vida, e uma coisa é certa eu realmente sou muito grato a victória por ter me feito finalmente acordar e eu sempre irei lutar e espalhar os ensinamentos que eu aprendi e estou aprendendo para poder ajudar de todas as maneiras os seres que no fim só querem duas coisas: respeito e...

Leia Mais

Depoimento de Daniela Fialho de Mello

Postado | 0 comentários

Boa noite! Desde pequena eu nunca fui muito afeiçoada à carne, mas consumia com frequência, umas 3 vezes por semana. Há uns 4 anos eu vinha lendo conteúdo e me familiarizando com o vegetarianismo, porém pensava “não é pra mim”, acho que tinha receio de não me adaptar… Ou talvez eu não refletisse muito a respeito. Um dia, 2 anos e meio atrás, fui almoçar com uma amiga vegetariana em um restaurante vegano e gostei muito da culinária. Naquela noite pedi um Big Mac no Mac Donald’s: Dei uma mordida, senti um nojo extremo, uma sensação de: “isso é muito errado”, e parei de comer, não apenas o lanche, mas qualquer tipo de carne. Foi um processo muito natural, muito fácil… Senti, no momento, que foi instantâneo – mas depois eu percebi que eu elaborei todo o processo na minha cabeça antes de parar de comer de fato. Não sinto falta de comer carne (sou ovo-lacto vegetariana), absolutamente. Nunca mais senti vontade e me sinto muito bem. Sou muito saudável, me alimento bem. Passei a gostar mais de cozinhar e a cozinhar melhor. A vida é muito prazerosa e nem penso no fato de eu ser vegetariana… Apenas é o mais natural pra mim, para o meu organismo e para o meu...

Leia Mais

Depoimento de Bruno Carmo

Postado | 0 comentários

Depoimento de Bruno Carmo

Eu gostava muito do sabor da carne. Não achava necessário mudar meus hábitos, pois acreditava no falido argumento da cadeia alimentar. No entanto, como me interessava bastante pela questão da saúde, chegou às minhas mãos um livro sobre câncer, muito bom, chamado “Anticâncer”, que escreveu um médico que teve 2 tumores no cérebro e se curou basicamente modificando seus hábitos. Enfim, nesse livro o autor relacionava seriamente a epidemia de câncer que temos no ocidente ao consumo de carne e frango, além de açúcar e agrotóxicos. Com argumentos muito bons, ele me convenceu a deixar a carne e o frango. Nessa época ainda comia peixe e outros animais marinhos, que eu achava que não sentiam dor. Como que por efeito da diminuição da ingestão de carne, acho que fiquei mais sensível, e comecei a me preocupar mais com a questão do sofrimento animal. Foi aí que assisti “A Carne é Fraca” e “Terráqueos”, quase até o fim. Chorei um monte e decidi que não ia mais comer bicho nenhum. Essa mudança foi simultânea ao meu interesse pelas filosofias orientais, pois bem nessa época eu estava estudando o budismo, que também recomenda o vegetarianismo, e um pouco depois conheci o movimento pela consciência de Krishna, com o qual me identifiquei mais ainda, e que também afirma o vegetarianismo como requisito para que possamos realmente viver uma vida de seres humanos. Assista o filme “Terráqueos” aqui  Assista o filme “A Carne é...

Leia Mais

Depoimento de Lili Góes

Postado | 0 comentários

Eu sempre gostei de animais..mas sempre cuidei apenas de cachorros e gatos,..não enxergava o sofrimento por traz de uma refeição com animais. Ate que meu irmão me trouxe o video “A carne e fraca” assisti dias depois..junto com minha familia,logo após almoçarmos; Fiquei chocada,senti arrependimento muito forte..aquelas cenas nunca mais sairam da minha mente..ja no jantar não consegui mais comer animais, e dias depois não imaginaria que tb não conseguiria prepara-los nem compra-los..mas ainda fiquei uns 5 meses consumindo derivados,como leite e queijo..mas ja estava em transição para o veganismo,sabia que não seria correto continuar consumindo derivados de origem animal. Pronto no natal,eu ja estava vegana,mas escorreguei consumi um mousse,foi só,me senti mal,culpada…e depois disso ..segui em frente com minha atitude. li muito sobre o assunto..me informei..me tornei ativista do VEDDAS,e a estas alturas se passaram quase tres anos sem preparar nada de origem animal,nem pra mim nem pra meu marido e filho (onivoross),que quando estão em casa são veganos por falta de opção na geladeira; Me tornei vegana por respeito aos animais,mas como consequencia minha saude,que nunca foi boa,melhorou muito mesmo. E agora ,desejo lutar pelo direito dos animais continuarem livres e vivos. Durante toda minha...

Leia Mais