Sempre me incomodou a gratuidade com que se tratava a vida dos animais deglutidos. desconfiando disso, fui comendo cada vez menos carne, o que me levou a uma consciência tal que já não me permitia sobreviver através do castigo cruel e inútil de meu semelhante. e este é o sentimento que o vegetariano adquire (ou deveria) em relação a todas as manifestações da vida em geral. é por isso que seu corpo e espírito se transformam. sejamos o nosso melhor, por amor.

Escreva seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *