Rapazes, loucos e ambiciosos queríamos conhecer nosso poder, nossa inteligência sem direção. Meu amigo tinha uma carabina de ar. O que é o poder de um arma. E nas mãos de uma criança… O que falar… Eu tinha 11 anos e passava minhas tardes nos campos. Bela natureza, mas eu não tinha olho para apreciar isso. Eu só queria experimentar meus poderes para ser ignorante. Então, peguei a carabina na minha mão e pensei em testar minhas habilidades como caçador. Busquei um objetivo para ensaiar e vi uma pombinha parada no teto da casa. Apontei a ela e infelizmente no primeiro disparo o tiro de chumbo fez o passarinho no teto cair rolando até chegar perto da gente. No chão, ainda viva, ela sofria e convulsionava notavelmente. Sem saber o que fazer pensei em deixá-la agonizar sentindo-me o ser mais baixo e olhando assustado a carabina que nas minhas mãos tinha se tornado um instrumento de morte. Eu admirava as pombinhas pela sua capacidade de direcionamento e suas diversas artes de vôo. E ali estava uma delas sem vida por minha causa. Eu levei ela para minha casa e a entreguei para minha mãe pensando que seria pior deixá-la jogada no chão. Minha mãe tirou o chumbinho mortal e mostrou para mim. Eu o guardei, para sempre poder me lembrar desse encontro com a morte causada por mim. Não imaginava que só um ano depois um amigo ia acertar meu olho com uma carabina igual à aquela que eu tinha usado com a pombinha, fazendo que eu perdesse meu olho esquerdo. Foi um acidente de parte do meu amigo, mas para mim foi como um “olho por um olho”. Bom e a coisa não parou por ai, pois me foi proibido fazer esporte, que tinha sido minha principal diversão, para evitar que afetasse os nervos do meu olho. Assim mudou minha vida completamente. E estudando muitos livros eu percebi que o mundo das armas não era o mundo onde eu queria ser bem sucedido. Então a guerra de Vietnam foi a segunda coisa mais horrivel, depois da segunda guerra mundial.
Eu estou endividado com aquela pombinha e peço que ela possa chegar a ser perfeita rapidamente e que eu possa pagar minha dívida fazendo o bem a outros animais nesta mesma vida.

Vegetariano Caolho

Escreva seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *